Acampamentos são alternativa saudável para detox digital

Quantas horas por dia você passa com os olhos colados na tela do celular, tablet ou computador? Para adultos, estar conectado pode ser fundamental para o cumprimento de demandas profissionais. Mas e quando os olhos em questão pertencem a crianças ou adolescentes? Muitos estudiosos, psicólogos e médicos têm alertado sobre as consequências de uma vida hiperconectada no desenvolvimento das crianças. Nesse cenário, os acampamentos de férias são vistos como alternativa saudável para desintoxicar crianças e adolescentes do “vício da tecnologia”.

A partir de atividades recreativas ao ar livre, do estímulo à socialização e à autonomia e, principalmente, da regra primordial de não aceitar equipamentos eletrônicos, os acampamentos de férias representam um “respiro” necessário em tempos em que jovens são, cada vez mais, “engolidos” pelo mundo digital.

Viciados em tecnologia

Crianças e adolescentes, em todo o mundo, passam cada vez mais tempo conectados. Dados do Comitê Gestor da Internet do Brasil (CGI.br) apontam que 80% da população nacional entre 9 e 17 anos acessam a internet. Desse total, pelo menos 60% navegam diariamente pela web.

A exposição sem limites à internet e ao uso exagerado das mídias trazem consequências para o desenvolvimento e saúde dos jovens. Insônia e obesidade são alguns problemas de saúde desencadeados pelo uso irrestrito da tecnologia. A gravidade da situação é tamanha que a Academia Americana de Pediatria (AAP) divulgou um estudo contendo uma série de recomendações para que os pais possam garantir o uso seguro da internet e televisão.

A instituição norte-americana compilou pesquisas realizadas por diversos órgãos sobre o impacto das mídias digitais na saúde infantil. Dividido por faixa etária, o estudo aponta práticas saudáveis de interações entre crianças e tecnologia. Entre as principais recomendações estão:

  • Crianças de 0 a 5 anos: evitar o uso de mídias digitais. Exceção para conversas via vídeo-chamadas para crianças com menos de 2 anos;
  • Para crianças entre 18 meses e 2 anos que já tiverem acesso às mídias, procure conteúdos de alta qualidade e esteja junto quando a criança estiver conectada. Evite que a crianças utilize mídias digitais sozinha.
  • Para crianças de 2 a 5 anos, o ideal é limitar o uso das telas até uma hora por dia com programação de alta qualidade. Assista ao conteúdo junto com a criança e ajude-a a entender o que está acontecendo.
  • Evite o uso de mídias digitais como principal forma de acalmar a criança. Essa prática pode desencadear problemas com o estabelecimento de limites e a própria capacidade da criança se acalmar sozinha e regular emoções.
  • Mantenha as crianças sem acesso às telas na hora das refeições, no quarto e enquanto estiverem brincando com os pais. A regra também vale para os pais.
  • Estabeleça a regra: nada de telas pelo menos uma hora antes de dormir.

Desafios da vida sem celular

O aparelho celular mantém pais e filhos conectados diariamente. A separação, tanto a ida da criança para o acampamento quanto a falta do celular, é desafiadora para os dois lados. Não utilizar os joguinhos de celular, trocar mensagens ou ouvir músicas tem um lado benéfico também para as relações entre pais e filhos.

O acampamento educacional atua para estimular a independência de crianças e adolescentes, promovendo meios para criação de vínculos entre os acampantes. A troca de experiências e o compartilhamento de emoções entre os jovens também é uma forma de ensiná-los a lidar com a saudade e outros sentimentos.

2019-04-30T15:02:59+00:0030/04/2019 at 3:02pm|0 Comments

Leave A Comment